sexta-feira, 17 de março de 2017

Só se ama uma vez? #amor #relacionamentos


Imagem by canva.com


Já ouvi muitas opiniões a respeito do amor verdadeiro, daquele grande amor da vida da gente, alguns acreditam que só se ama mesmo, de verdade, uma vez, que pode-se apaixonar várias, mas que amor só acontece uma única vez na vida. O que eu acho? Juro que não acredito nisso! Imagina só uma pessoa que encontra o grande amor da sua vida na adolescência e por um acaso do destino acaba se afastando do ser amado, porque os pais mudaram de cidade, de emprego, ou porque foram fazer faculdade em lugares diferentes e distantes, sei lá, são apenas suposições, mas imagine isso, a coitada dessa pessoa então estaria fadada a nunca mais amar? Não, eu não acredito nessa teoria! Os que a defendem diriam que na verdade não era amor o que sentiam um pelo outro. Ah, não devemos diminuir os sentimentos! Eles se amaram, sim! De forma pura e intensa! Mas a vida os afastou e ambos acabaram conhecendo outras pessoas e se apaixonaram novamente, e amaram outra vez! É nisso que acredito! Podemos amar verdadeiramente várias vezes! Porque infelizmente o amor não é eterno. Nós não somos eternos. Podemos morrer e deixar quem amamos aqui, e quem fica tem direito de refazer sua vida, e acho muito justo que ame novamente. E mesmo que não seja a morte a separar o casal, a vida pode fazê-lo! Somos humanos, imperfeitos, somos mutáveis. Assim como mudamos constantemente, nossos sentimentos também podem mudar. E o amor se não for nutrido, cultivado no dia a dia, pode morrer.
Eu, como escritora de romances, estou sempre falando sobre amor, contando histórias, inventando personagens, e meus personagens já amaram várias vezes, muitos estão sozinhos e procurando sentir novamente o coração bater acelerado, procurando alguém para dividir a vida e os sonhos.
No meu próximo romance, que sairá em breve pela editora Pandorga, "As coisas não são bem assim", Clarice, minha personagem central, uma jovem estudante de medicina, perde o grande amor da sua vida às vésperas da formatura. Trágico, não? Com  a morte de Guilherme, seu colega de faculdade e companheiro, seu namorado, o homem com quem imaginou construir uma família, ela sente que seu mundo ruiu, nada mais faz sentido. Mas Clarice terá que aprender a voltar  a viver, porque é isto que fazemos: seguimos em frente. Não será fácil. Mas aos poucos a dor vai abrandando, e mesmo depois de uma perda terrível, podemos voltar abrir nosso coração. Eu desejo que Clarice reencontre o amor e a alegria e convido vocês a conhecerem este romance que deve ser lançado no final de maio deste ano. Da mesma forma que desejo que cada um que esteja lendo, e que já tenha tido o coração partido de alguma forma por amor: pela dor da perda pela morte, por uma traição, ou simplesmente porque o amor acabou, que reencontre o amor, que se refaça, que volte a acreditar nas pessoas, a sorrir e tenha coragem para se entregar de novo. Podemos amar infinitas vezes! Não desacredite desse sentimento lindo, que faz a vida ter sentido! Ame! E não tenha medo de se machucar, porque às vezes, infelizmente, o amor machuca. Mas um dia a dor vai embora e outro amor brotará novamente, forte e intenso, trazendo de volta aquele sorriso que você já até tinha esquecido que sabia dar!

Beijos

Renata R. Corrêa
(autora dos romances "Contra todas as probabilidades" - publicado em ebook na Amazon e "As coisas não são bem assim" - editora Pandorga, com lançamento previsto para final de maio)

#amor
#relacionamentos
#romance
#livros
#editorapandorga

Deixe seu comentário usando o facebook!