segunda-feira, 15 de junho de 2015

A lenda do lobo bom x lobo mau

Olá! Tudo bem com vocês? Eu vou bem, obrigada! Sabe aquelas frases e textos que você lê nos lugares mais inusitados possíveis? Semana passada estive resolvendo algumas coisas na rua e acabei indo a um cartório onde haviam dois cartazes pregados, que chamaram minha atenção. Um deles era a história do lobo mau x o lobo bom que existe dentro da gente. Conhecem? Vou escrever aqui para vocês:



"Uma noite, um velho índio falou ao seu neto sobre o combate que acontece dentro das pessoas.

Ele disse:
– A batalha é entre os dois lobos que vivem dentro de todos nós. Um é Mau. É a raiva, inveja, ciúme, tristeza, desgosto, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, mentiras, orgulho falso, superioridade e ego.
O outro é Bom. É alegria, felicidade, fraternidade, paz, esperança, serenidade, humildade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé.
O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô:
– Qual lobo vence?
O velho índio respondeu:
– Aquele que você alimenta!”

Eu já tinha lido e escutado esta lenda há muito tempo atrás, mas relê-la naquele lugar tão inesperado me fez refletir. Essa é uma grande verdade! Todos carregamos sentimentos ambíguos dentro de nós. A bondade e a maldade, a alegria e a tristeza, a esperança e a desilusão. Todos nós! Ninguém escapa dos lobos que carrega em si. Mas caberá a cada um decidir qual alimentar. E por mais que escolhamos dar comida apenas para o lobo bom, o mau é persistente e forte, ele não morrerá facilmente. Mas que ele fique fraco, doente, que mal consiga se levantar! Que a parcela de bondade, alegria e esperança em nós seja sempre superior a seus opostos.
Acho que a parte mais difícil de ser domada do lobo mau é o medo. Ele muitas vezes nos impede de ser melhores, de ser felizes, de ter esperança. Lidar com  medo não é tão simples, mas é possível. E não estou falando do medo das coisas reais, como o medo que tenho de altura, mas o medo das coisas que criamos, que inventamos em nossas mentes. Por que nos torturamos tanto? Por mais que o medo nos aflija, precisamos enfrentá-lo. Nunca será fácil, mas é tão bom quando conseguimos. Quando acendemos aquela luz que eu citei em outro texto e vemos que não tem nenhum bicho-papão debaixo da cama. Como é bom conseguir respirar fundo, clarear as idéias e perceber que o que estava nos apavorando nem era tão grande assim. Era porque não conseguíamos enxergar direito, as sombras faziam tudo ficar maior. Que consigamos acender a luz dentro de nós. E muitas vezes essa luz é a paz. A paz que vem da fé. Que vem do apoio de quem gostamos. 
Hoje desejo a vocês força, fé, alegria, bondade, determinação e sobretudo paz! Que saibamos escolher o lado bom do que há dentro de nós!
Uma ótima semana para todos nós!

Deixe seu comentário usando o facebook!