domingo, 31 de maio de 2015

Socorro! Tempo, vai mais devagar!

Olá! Tudo bem com vocês? Comigo está tudo bem, obrigada! Tirando o fato sobre o qual irei escrever agora: a celeridade do tempo! 


Eu que pensava que a vida seria como uma viagem de trem, de "Maria-fumaça", devagar e com várias paradas para que pudéssemos conhecer lugares e pessoas, acabei surpreendendo-me ao perceber que embarquei num trem bala!  Muitas vezes tenho vontade de gritar: " Socorro! Senhor maquinista, vai mais devagar aí! Não está dando tempo para desfrutar pela janela nada do que passa correndo à minha visão lá fora!". Já tiveram vontade de gritar essas frases também? E o tempo continua depressa, depressa, e o tic tac do relógio já nem consegue acompanhar! Acho que mudaram a velocidade do tempo! Só pode! Chego a duvidar de que os dias tenham mesmo vinte e quatro horas, e que cada hora tenha sessenta minutos e estes tenham, cada, sessenta segundos! Ah, não! Eu duvido! Mexeram na engrenagem do tempo! Amanhã já é segunda-feira e num piscar de olhos chegará sexta! E outro dia foi o início do ano e agora já estamos entrando em junho! E outro dia foi fevereiro e eu tive medo de morrer numa cirurgia, e isso já faz quatro meses e graças ao bom Deus estou aqui vivinha "da silva". Mas preciso escrever rápido, preciso viver rápido, senão não vai dar tempo! Mas eu que não sei viver rápido, faço como? Responda-me aí você que tiver uma resposta! Mais devagar tempo, tempinho querido, por favor! E olho no espelho e vejo que alguns fios de cabelo branco apareceram em minha cabeça, todo dia olho de novo para ver se tem mais. Não! Todo dia não, porque não tem dado tempo de parar para analisar meus fios brancos. Mas lembro-me deles! E me  assusto: estou envelhecendo! O engraçado de tudo é que não me sinto velha! Semana passada tive uma conversa divertida com um paciente que reagiu quando eu disse que ele ainda era muito novo. Respondeu-me: "Não, doutora, eu já tenho trinta e um! Daqui a pouco faço trinta e cinco e quando eu me der conta estarei com quarenta! Mas ainda bem que não parece!" Nós dois caímos na gargalhada. É, ainda bem que não parece! Eu tenho pensado nisso! Estou com trinta e quatro, do jeito que as coisas vão, quando eu menos esperar estarei soprando quarenta velinhas em cima do bolo! E qual a importância disso? Ah, é que a vida vai ficando mais curta... E eu queria viver mais devagarinho... Mas não tem jeito! Se tivesse como pedir para descer do trem bala e embarcar na Maria-fumaça, eu iria! Mas não tem! Preciso é me acostumar! E quem sabe eu consiga entrar no ritmo! A moda agora é correr! Todo mundo correndo! Corre-se por esporte, por lazer, por prazer e para viver! Ai que corre-corre cansativo! E eu continuo usando hifens e já nem sei mais quando devo ou não usar! A gramática mudou muito desde que vim ao mundo! Se eu não correr, vou acabar não sabendo mais escrever. E como ficarei eu, se essa é a coisa que mais gosto de fazer!? Ah, preciso estudar mais essa nova gramática! E preciso começar a correr! Dizem que faz bem para a saúde, e ajuda a emagrecer, manter a forma! Mas é que me dá uma preguiça! Eu gostaria mesmo é de viver a vida devagarinho!
Noite passada tive um sonho bonito, acho que vou escrever um conto sobre ele, poderia até escrever um livro, mas acho que vai ser um conto mesmo.
Desculpem-me esse texto meio corrido, como se eu tivesse mesmo despejando meus pensamentos sobre vocês. É que apesar de eu gostar da vida devagar, meus pensamentos surgem num ritmo acelerado. Eles já se acostumaram com a nova velocidade da engrenagem da vida, meu corpo ainda está tentando!
Vou parar por aqui que já é hora de almoço!
Um beijo e até a próxima!

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Só até amanhã! Não percam!

Oi gente!

Quero lembrá-los que quem quiser adquirir o livro de contos românticos, do qual farei parte, "Eu, você e o amor", as encomendas são só até amanhã!

Não percam! Um livro lindo para ler e presentear!



 Encomendas pelo site da editora, abaixo está o link:

http://www.editorailluminare.com.br/exemplaresantologiasbrasileiras.html

Ou por email: antologiasbrasileiras2014@gmail.com

Os contos e autores que estarão presentes no livro são:

Surpresas do acaso - Vera Lúcia Cervi Mattei
O abraço de um anjo - Beatriz Cortes
Uma chance para nós dois -Naylane Giazzon Sartor
Eu e ele: juntos para sempre - Rô Mierling
Com o casaco nos braços - Marcio Augusto Muniz
Uma Canção para ela - Thais Turesso
Surpresas do Amor - Márcia Pavanello Pires
De verdade - Adriana Igrejas
Menina multidão - Mariana Baptista
Agora e para sempre - S.S.Days
Surpreendido pelo Amor - Wilson Santos
E o amor estava em uma volta - Maria Delboni
Primeiro amor - Glaura Gerhard
Namoro virtual - Tania Tonelli
O encontro do amor - Eva Correia Derossi
Era inevitavelmente amor - Renata R. Corrêa 
Paixão via internet - Gabriel Sidney
Uma Carta Para Casa - Luiz Henrique Batista
Não duvide do meu amor por você - Sergio Fernandes Alves Maia
Coincidências - Bruno Inácio


Beijos e boa sexta-feira!



quinta-feira, 28 de maio de 2015

As coisas não são bem assim - continuação do capítulo quatro

Oi pessoal! Vocês estão acompanhando meu segundo romance no wattpad: "As coisas não são bem assim - sobre a vida e o amor"? Não??? Eu não acredito que estão perdendo essa linda e envolvente história de amor! Acabei de postar parte nova! Corram lá para conhecer! Boa leitura!
 Abaixo o link: 

http://www.wattpad.com/story/38741842-as-coisas-n%C3%A3o-s%C3%A3o-bem-assim-sobre-a-vida-e-o-amor

Um trechinho para aguçar a curiosidade!



...

Acordei cedo na segunda-feira e fui ao clube nadar. Saindo da piscina levei um susto ao me deparar com Henrique sentado de terno e gravata olhando para mim.
            - Bom dia! Disse ele sorrindo.
            Eu estava de touca de natação e maiô. Peguei uma toalha mais do que depressa e me enrolei nela, tirei a touca da cabeça e tentei ajeitar os cabelos.
            - Bom.dia... Respondi pausando as palavras. O que faz um advogado vestido de terno e gravata à beira da piscina numa manhã de segunda-feira?
            Ele sorriu sem mostrar os dentes.
            - Desculpe-me por ontem…
            - Mas exatamente pelo o quê você está se desculpando?
          - Eu agi como uma criança fugindo de você em minha casa... Falarmos sobre nossos dramas pessoais mexeu comigo e me assustei...
            - Imagina! Está tudo bem! Como sabia que me encontraria aqui?
            - Na verdade eu não tinha certeza que estaria aqui, mas Teresa me disse que tem o costume de vir nadar cedo nas segundas-feiras… Resolvi arriscar.
            Eu sorri.
            - Você poderia ter pedido meu telefone para ela e me ligado, não seria mais simples?
           - Não... Não estou procurando as coisas mais simples da vida... Querer encontrar-me com você já diz tudo. Somos dois sobreviventes de tragédias da vida, isso poderia ser simples? Ou ao menos será que isso poderia dar certo? Enfim, estou parecendo um louco lhe dizendo tudo isso, mas não sei bem como agir… Faz muito tempo que não me preocupo em arrumar uma namorada… Acho que perdi o jeito com as mulheres!
            Gostei de tudo que ouvi. Mesmo sem jeito algum para a coisa ele evidentemente estava me paquerando.
            - Ok… Também não sei como agir com os homens, como eu te disse ontem só tive um namorado na vida, com quem fiquei por cinco anos e agora estou sozinha há cerca de um ano… Mas se estiver disposto, acho que podemos descobrir isso juntos…
            Agora ele sorriu um sorriso aberto.
            - Gostaria de tomar um café comigo hoje à tarde?
            - Hum… Estou de plantão hoje à noite, entro as 19:00h, não vai dar...
            Ele entristeceu e resolvi logo consertar a situação.
            Mas poderíamos nos encontrar para um café amanhã, o que acha?
            - Ok! Amanhã fica ótimo! Você poderia me dar seu número de telefone e seu endereço?
            Dei meus contatos para ele e nos despedimos. Assim que ele saiu pulei de volta na piscina, sem touca mesmo!
            Eu fiquei eufórica! Henrique mexia comigo e eu estava prestes a ter um encontro amoroso. Bem, não sei se será exatamente um, mas o fato é que ele está interessado em mim e eu acho que mereço dar uma chance para a vida me apresentar um novo amor.            
            Jamais esquecerei Guilherme, da mesma forma que Henrique provavelmente jamais esquecerá Mariah, mas estamos vivos e somos jovens, quem sabe! Quem sabe...
            ...

Continuem a ler a história no wattpad! 

terça-feira, 26 de maio de 2015

Como manter o romance numa relação após casamento e filhos?

Olá pessoal! Mais uma vez estou escrevendo um texto a pedido. Desta vez vou atender a querida Vanessa Honorato que sugeriu o tema "como manter o romance após os filhos". Este será um desafio e tanto, já que ainda não sou mãe. Mas sou casada e tenho muitos amigos e familiares jovens que têm filhos. Então vou deixar aqui minha opinião a respeito do assunto, que vem mais da observação do que da prática. Vamos lá!



Quando duas pessoas se apaixonam e começam um relacionamento sério tudo é lindo! Tudo é novo. As descobertas encantam e reforçam a paixão. Os encontros não são diários e cada um tem sua vida particular, suas manias, gostos e personalidades. Cada encontro é esperado, celebrado. Ambos se enfeitam um para o outro e as horas ou os dias longe fazem com que a saudade apimente a relação. O tempo passa e esse jovem casal apaixonado decide dar o próximo passo: o casamento, ou vão morar juntos mesmo sem casarem. A vida a dois debaixo do mesmo teto já é um grande teste! Hoje posso dizer com propriedade de causa que só se conhece alguém verdadeiramente quando se vive junto. Morando junto, ambos passarão a ter que conviver com as responsabilidades domésticas, lavar a louça, a roupa, pagar as contas... Ainda conhecerão de perto o outro com todas as suas manias e particularidades. Mesmo aqueles casais que logo de cara já contratam uma diarista ou uma empregada doméstica acabarão tendo alguns afazeres domésticos incluídos em sua rotina, já que não dá para delegar tudo a outra pessoa. Passado o período de adaptação, que pode ser mais agradável e fácil para uns ou mais difícil e traumático para outros, enfim, tendo se adaptado a essa nova realidade o casal continua feliz, saindo para jantar fora, cinema, teatro, viagens, até que um dia recebem a mais bela notícia que poderiam receber: a família vai aumentar! O tão esperado filho, ou inesperado, vem para encher a vida do casal de alegria, reforçar o amor e a união! Será mesmo? Algumas estatísticas (de revistas femininas e afins) mostram que é justamente durante o período da gravidez e pós parto que os maridos mais traem. Chocante? Absurdo? Observando várias e várias famílias que passaram recentemente pelo nascimento do primeiro filho, sinto-me a vontade para dizer o que penso: totalmente compreensivo. A traição na minha opinião é imperdoável. Mas paremos para pensar um pouquinho e ver quem está traindo quem. Passada a empolgação da notícia a mulher vê-se definitivamente grávida e começam os sintomas do primeiro trimestre, mais intenso para umas e menos para outras: enjoos, diminuição da libido, tudo cientificamente explicado pela variação hormonal descomunal, tudo bem, dá para entender que  a mulher não fica muito disposta, o marido compreende e na maioria das vezes passam todo o período sem sexo! Três meses sem sexo! Ok, ok. Deu para aguentar a seca, mas precisa mesmo acabar com todo o romance da relação? E eu pergunto isso para os dois! A mulher por mais irritada e indisposta que esteja precisa se lembrar que ainda tem um marido e que se ela não der a mínima assistência, estará sim abrindo a concorrência (como diria o velho ditado popular). Então meninas, mesmo que não vá rolar uma noite quente de amor, dê carinho a seu companheiro. Lembrem-se que vocês ainda são um casal e que beijar à boca aproxima vocês. Beijem-se. Façam carinho um no outro. Assistam filmes juntinhos, conversem sobre o que está acontecendo. Façam planos. Não deixem de se namorar! Vocês homens, sejam sensíveis e compreensivos e entendam que suas mulheres estão hormonalmente descontroladas, loucas, surtadas e que precisam mais do que nunca sentirem-se bonitas e amadas! Caprichem nos elogios. Comprem presentinhos para deixá-las bonitas e felizes.  Passou o primeiro trimestre! Ufa! A  barriga ainda está pequenininha, agora a mulher já não sente-se tão cansada, na maioria das vezes a fase dos enjoos já passou e a libido começa a voltar ao normal. Hora de namorar! Não vai querer ficar 9 meses na seca, não é mesmo!? Então aproveitem para fazer as coisas que gostavam de fazer antes da gravidez. Divirtam-se e não deixem o sexo de lado. Não faz mal para o bebê, pode acreditar! Além de escritora sou médica e sei do que estou falando! (Salvo raros casos em que ocorram complicações na gravidez, como descolamento de placenta e a mulher realmente precise ficar de repouso). O terceiro trimestre chegou! Agora a barriga começa a ficar enorme, a mulher sente dores na coluna e no quadril, a indisposição fica maior, ela fica inchada, começa a sentir-se feia e o marido vai para escanteio! Meninas! Não abandonem seus maridos! Existem muitas mulheres solteiras, livres, desimpedidas, magrinhas, saradas querendo um homem. Sem contar que existem as profissionais do sexo! Ah, melhor nem pensar tanto! Mas escutem-me: aproximem-se, comecem a preparar as coisas para a chegada do bebê juntos, conversem sobre outros assuntos que não apenas maternidade. Encontrem uma forma de continuar sendo um casal apaixonado. Maridos! Não troquem suas esposas lindas por qualquer rabo de saia! Isso não vale  a pena! Tenham calma, é uma fase e ela vai passar e logo, logo tudo voltará ao normal! Será? Sabe o que eu cansei de ver? Mulheres que surtam depois do nascimento do filho! Colocam o menino para dormir entre o casal, além de ser perigoso, pois vocês podem virar durante o sono e rolar sobre a criança sufocando-a, isso tira totalmente  a privacidade do casal! Colocar o bercinho os primeiros dias do lado da cama eu entendo, facilita as coisas, mas os primeiros dias! Não deixe o bercinho fazer aniversário no quarto do casal! Passado os dois primeiros meses a vida vai lentamente voltando ao normal, a criança já não acorda tantas vezes para mamar, a mulher já saiu do período de resguardo, o alarme começa a soar e vocês casais, precisam escutá-lo! É hora de lembrarem-se que são marido e mulher, namorados, que precisam ter seus momentos de intimidade e carinho. Assim que possível, deixem o bebê com os avós ou com a babá uma vez por mês e saiam sozinhos. Certamente ficarão preocupados nas primeiras vezes, mas vocês vão aos poucos adquirindo confiança com quem deixam a criança e ficarão mais a vontade para curtirem-se. Está difícil namorar em casa porque vocês já têm filhos maiores? Então aproveitem esse dia no mês, que é só de vocês, comecem a noite num restaurante e terminem num motel. Sim, MOTEL! Um relacionamento não pode virar só amizade, senão uma hora acaba.  Quando você se torna apenas amigo do seu parceiro, e isso vale tanto para homens quanto para mulheres, você abre espaço para que a pessoa acabe se encantando por outro alguém, apaixone-se e daí: FIM. É isso que você quer? Tenho certeza que não! A pessoa que está ao seu lado é seu amor, foi você quem escolheu, porque amava e queria passar o resto da vida juntos, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, então não abandone esse amor! Cuide dele. Amor exige cuidados, diários, "bom dia" e "boa noite", sorrisos e abraços, piadas que só vocês entendem, aquela música especial que inevitavelmente despertará a vontade de dançarem agarradinhos... Vocês são pais, mas ainda são os mesmos! Nunca se esqueçam disso! E quer saber? Filhos que crescem numa família harmoniosa vendo pai e mãe se darem bem, carinhosos e apaixonados, são mais tranquilos. A solidez da estrutura familiar ampara a criança. Mesmo que o tempo passe e leve sua juventude e disposição nunca se perca desse(a) jovem que você é hoje! Nunca perca o gosto de viver e a vontade de voltar para casa e ser recebido pelos braços de quem ama. Não esqueça de dizer isso a ele(a) todos os dias: "Eu amo você", mas de verdade, com o coração e não somente com a boca. Não deixe o romance morrer. Nunca! Morra antes que ele. 

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Agradecimentos

Pessoas queridas, que fazem todo este meu sonho de escritora ter sentido e a cada dia que passa ir se tornando mais real, eu só tenho o que agradecer a vocês! Muito obrigada, de coração, pelas leituras dos meus romances, dos meus contos, poemas e das minhas crônicas e de todo e qualquer texto que escrevo por aqui ou no facebook. Hoje li um comentário em meu primeiro romance "Contra todas as probabilidades" que deixou meu dia mais alegre! Fiz uma montagem colocando os últimos comentários fofos que o livro recebeu, incluindo ele (Obrigada Gisele Melo!) e postarei aqui! Quem ainda não conhece, convido a conhecer: leia, acompanhe-me! Beijos! Tenham todos uma excelente semana!



sábado, 23 de maio de 2015

A vida é clichê

Depois de as minhas últimas postagens terem sido para falar do livro de contos do qual farei parte, senti uma saudade enorme de escrever para vocês! Primeiro quero agradecer as leituras e compartilhamentos e comentários do meu texto "Resiliência no amor", valeu demais!

Agora vamos lá!


A vida é clichê. Dizer isso já é um clichê. Sabe aquelas coisas que a gente ouve, e que eu adoro e vivo dizendo para vocês como: nunca desista de seus sonhos, seja sempre você mesmo, não perca a leveza na vida e coisas desse tipo? Todos clichês, não é mesmo!? E o que importa que sejam clichês? Se o que escrevo te inspira e te enche de esperanças, assim como esse tipo de coisa que você lê e escuta, é o que interessa! Hoje quero te dizer um monte de clichês! 

Esperar que os outros entendam o que a gente quer da vida, o que nos faz feliz e porque fazemos certas escolhas é ingenuidade. Ninguém nunca vai ser totalmente compreendido. Então não ligue se o que você faz causa estranheza aos outros, se é o que te faz feliz e te realiza, siga em frente! Não passe a vida tentando atender as expectativas que as pessoas têm de você. O que os outros falam é só o que os outros falam. Siga seu sonho e seja sempre você mesmo. Se o que deseja não der certo, ajuste sua rota e tente de novo! Dúvidas e medos todo mundo tem, só não podemos deixar isso nos impedir de seguir. Provavelmente a maioria das pessoas que fazem sucesso com o que escolheram para suas vidas também tiveram dificuldades e questionamentos. Isso é o normal. Raro é quando tudo acontece quase que por milagre ou vem de mão beijada. Sonho requer trabalho e sacrifício para acontecer.  Eu não acredito em sorte ou acaso. Penso que na verdade ter sorte é uma combinação de ter persistência e dedicação. Vivo dizendo para meus amigos e familiares que se você deseja muito uma coisa e luta por ela, faz sua parte, pode até demorar, mas ela vai acontecer! Talvez não aconteça exatamente como você queria, porque nem sempre o melhor para nós é exatamente como planejamos. Nossos sonhos para se tornarem reais podem exigir ajustes da vida. Não fique triste ou apreensivo com isso. Só te faço uma súplica: não ligue o botão do automático! Não, não! Fique longe dele! Não podemos passar pela vida, seria um grande desperdício! É preciso vivê-la, com intensidade, autenticidade, alegria e um pouco de dor e de tristeza, para que possamos dar valor a todos esses momentos e saber diferenciá-los. 

Viva! Permita que o sol aqueça sua pele e a luz ofusque sua visão. Tome um banho de chuva. Ouça o canto dos pássaros. Sinta o cheiro de mato. Aprecie as construções nas grandes cidades e nas pequenas também. Ame. Trabalhe, mas tire tempo para descansar. Viaje. Sorria. Chore, de alegria e de tristeza, de emoção. Leia mais. Case-se, ou não case, mas apaixone-se pelo menos uma vez na vida, daquelas paixões de tirar você do chão! Tenha um filho, ou adote um, ou tenha um cachorro, ou faça um doação ou uma visita a um orfanato ou a uma entidade protetora dos animais. Plante uma árvore. Escreva um livro. Escale uma montanha. 

Sonhe! Não se deixe intimidar pelos desafios e dificuldades que aparecerem a sua frente!  Não vivemos apenas esperando alcançar um ponto final. Passamos a vida pelo caminho. Que saibamos aproveitá-lo!

Pré-venda do livro "Eu, você e o amor" aberta! Não perca!

Começou a PRÉ-VENDA da antologia Eu, Você e o Amor!
São 20 contos de amor de 20 autores, incluindo um meu ("Era inevitavelmente amor" - Renata R. Correa) em apenas um livro. Aproveite para garantir o seu, será edição limitada. FRETE GRÁTIS!
PEÇA O SEU clicando no link abaixo! Ou envie pedido para: antologiasbrasileiras2014@gmail.com  
Pedidos somente até dia 30 de maio!


Contos e autores selecionados:
Surpresas do acaso - Vera Lúcia Cervi Mattei
O abraço de um anjo - Beatriz Cortes
Uma chance para nós dois -Naylane Giazzon Sartor
Eu e ele: juntos para sempre - Rô Mierling
Com o casaco nos braços - Marcio Augusto Muniz
Uma Canção para ela - Thais Turesso
Surpresas do Amor - Márcia Pavanello Pires
De verdade - Adriana Igrejas
Menina multidão - Mariana Baptista
Agora e para sempre - S.S.Days
Surpreendido pelo Amor - Wilson Santos
E o amor estava em uma volta - Maria Delboni
Primeiro amor - Glaura Gerhard
Namoro virtual - Tania Tonelli
O encontro do amor - Eva Correia Derossi
Era inevitavelmente amor - Renata R. Corrêa 
Paixão via internet - Gabriel Sidney
Uma Carta Para Casa - Luiz Henrique Batista
Não duvide do meu amor por você - Sergio Fernandes Alves Maia
Coincidências - Bruno Inácio

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Eu, você e o amor

Bom dia! 

É com grande prazer e felicidade e orgulho que anuncio para vocês que a partir de amanhã o livro de contos "Eu, você e o amor", da Editora Illuminare, do qual farei parte com meu conto "Era inevitavelmente amor", estará em pré-venda  no site da editora, ficando disponível para compra/reserva até dia 30 de maio. Amanhã postarei o link para vocês! O livro ficará lindo! Não percam! Façam suas reservas!

Você é romântico e gosta de lindas histórias de amor? O Dia dos Namorados é especial para você? A Editora Illuminare vai tornar esse dia ainda mais especial! Novo lançamento Illuminare: "Eu, Você e o Amor" - contos românticos com diversos autores especialmente selecionados para você! (Incuindo um conto meu minha gente! "Era inevitavelmente amor" de Renata R. Correa). Um livro lindo, com edição limitada.
Pré-vendas somente do dia 23 até dia 30 de maio no site da editora.
RESERVE O SEU e curta momentos românticos ao nosso lado!
Todos os que adquirirem o livro na pré-venda receberão um número e no Dia dos Namorados a editora sorteará mais dois exemplares.


quinta-feira, 21 de maio de 2015

Resiliência no amor - desafios e conquistas na vida a dois

Olá pessoas queridas! Hoje meu texto é especial, pois estou escrevendo-o a pedido do querido Juscelino Melo. Façam-me vocês também seus pedidos aqui ou no facebook que atenderei com o maior carinho!



Acabou que o tema sugerido pelo Ju virou o título do meu texto. Vocês já estão acostumados a me ler falando sobre o amor e a vida a dois, adoro essa temática! Resiliência é uma palavra que tem sido muito usada ultimamente para falar sobre relacionamentos, ela é usada num sentido figurado, já que resiliência vem da física, das leis que estudam a mecânica e define a resistência aos choques de materiais. Quando usamos essa palavra para nos referir a relacionamentos, estamos nos apropriando dela para designar paciência, capacidade de ceder ao outro, ser maleável e flexível e assim resistir e evitar possíveis choques na vida a dois.
Comecemos!

Quem pensa que a vida a dois é simples e fácil se engana! Como poderia ser fácil juntar duas pessoas totalmente diferentes? Mesmo que compartilhem gostos e tenham sonhos em comum, são pessoas distintas, que vieram de criações e vivências com características particulares, isso por si só já seria motivo para choques e embates. Conviver é exercitar a arte da paciência, do perdão, do saber ceder e conceder. Logo, uma das características mais importantes na vida a dois é justamente a tal da resiliência! Ser paciente, flexível, saber fazer concessões, são características presentes no casal que levarão o relacionamento adiante, pois um relacionamento é feito muito disto: aceitar e compreender o outro. Se você quiser sempre ter razão e nunca tentar entender a visão de seu/sua companheiro(a), nunca dar o braço a torcer, abrir concessões, fará da vida a dois um inferno. Amor não pode ser disputa de quem está certo ou errado! Amor é cumplicidade! É importante e bom ouvir opiniões que não sejam as suas, testar outras hipóteses e outros pontos de vista. Você pode até não concordar, mas precisa aceitar que pessoas pensam de formas diferentes. Já ouviu aquela velha história de ser feliz ou ter razão? Nem sempre precisamos ter razão, nem ter opinião formada sobre tudo, aceitar as verdades do outro é difícil sim, mas demonstra humildade, e é um exercício que culminará numa convivência mais harmoniosa, numa vida a dois mais feliz. "Eu te aceito do jeito que você é, nem sempre concordo, mas fico feliz que demonstre suas opiniões, conte-me sobre seus sonhos e vontades". Não é essa uma frase linda para se dizer a quem se ama? Creio que as primeiras conquistas de um relacionamento surgem a partir do momento que ambos compreendem que é possível amar o diferente, aceitá-lo e entendê-lo , e é nesse momento que duas pessoas começam a se transformar em uma só (lembram-se desse meu texto?). É assim que a mágica do amor acontece! A vida a dois é  e sempre vai ser cheia de desafios, cabe a cada um de nós decidir se vai aceitá-los ou desistir do amor. Quanto a mim, aceito os desafios  e surpreendo-me assim com o amadurecimento do amor. E quanto a vocês? 
Desejo que tenham mais paciência, mais carinho e vontade de dar certo e que aprendam a ceder um pouco, a ser mais resilientes e experimentem o amor profundo e verdadeiro e uma vida de encontros diários entre corações, corpos e almas, repleta de alegria, entendimento e paz! Afinal, não é todo dia que se encontra o amor da vida da gente!

quarta-feira, 20 de maio de 2015

"As coisas não são bem assim - sobre a vida e o amor" - capítulo quatro, parte I

Boa tarde!

Ontem fiz um desafio no facebook para que vocês me sugiram temas para que eu escreva aqui! Vamos lá! Eu quero interatividade! Digam-me o que querem que eu escreva para vocês! Deixem seus recadinhos aqui ou no face, que irei ler com carinho e preparar textos bem especiais!

Enquanto isso, acabei de postar no wattpad a parte I do capítulo quatro do meu romance "As coisas não são bem assim - sobre a vida e o amor", não percam!

http://www.wattpad.com/story/38741842-as-coisas-n%C3%A3o-s%C3%A3o-bem-assim-sobre-a-vida-e-o-amor


Um trechinho:

Capítulo quatro

            O domingo amanheceu de céu azul e sol forte. Levantei com um pouco de preguiça e abri as cortinas. Já eram 10:00h. Calcei meus tênis de corrida, tomei um copo de suco de laranja e fui correr no parque do Sabiá, que é um parque municipal de entrada gratuita, com pista de caminhada ou corrida, arborizado, e com um pequeno lago. Eu gosto daqui. Quando corro sozinha, mesmo que o parque esteja cheio, sou só eu e meus pensamentos. Gostava de vir aqui com Guilherme...
            Desde o falecimento dele eu sempre visitava seus pais nos finais de semana, mas tudo naquela casa me lembrava-o. Com o tempo passei a ir lá cada vez menos. Já faz muitas semanas que não os vejo. Por um lado acho que eles gostavam da minha companhia, de falarmos sobre o Guilherme, mas ao mesmo tempo olharem para mim era como perceberem que ele se foi e a vida continua, e acho que isso não era fácil. Fui me distanciando aos poucos...
           Voltei para casa a tempo de ajudar minha mãe com a comida. Meus pais estavam visivelmente mais felizes com o fato de eu estar conseguindo levar uma vida mais normal. Conversamos animadamente durante a refeição. Tirei uma soneca depois do almoço. Meus pais saíram para visitar um casal de amigos e eu fiquei em casa sozinha.
            Sempre que estou sozinha aquele sorriso grande me vem à mente. Guilherme tinha um sorriso lindo! Sinto saudades de tudo, de nossas conversas, do beijo, do sexo, das nossas risadas ou de simplesmente ficar à toa calada ao lado dele...
            Fui para o jardim, liguei o som e deitei na grama numa área de sombra. Fiquei contemplando o céu... Será que ele pode me ver?
            - Meu amor, porque me deixou tão cedo? Sinto tanto sua falta! Espero que esteja num lugar lindo e em paz…
            Adormeci enquanto conversava com ele, ou com o céu, ou comigo mesma não sei bem… Acordei com meus pais chegando em casa. Já era tarde, pedimos uma pizza e assistimos a TV juntos.
            Segunda-feira pela manhã fui ao clube nadar. Exercitar-me distrai minha mente e gosto de água. Ainda era cedo e o clube estava praticamente vazio. Depois fui para a academia e malhei um pouco. Voltei para casa e ajudei minha mãe a terminar o almoço. Meus pais já estão aposentados e levam uma vida bem pacata. Eles mesmos cuidam dos afazeres domésticos e gostam de receber amigos. Adoram filmes seja no cinema ou em casa e gostam de um bom livro. Admiro o amor e companheirismo deles. Estão casados há 30 anos e ainda parecem dois namorados. É o tipo de amor que todo mundo gostaria de ter!
            À noite fui para mais um plantão. Sou uma pessoa pacífica, mas tem coisas que me tiram do sério… Volta e meia atendo algum paciente simulando estar doente, ou fingindo estar desmaiado e esse é o tipo de situação que me irrita! Pronto Socorro lotado, média de espera para atendimento de duas horas e chega uma paciente trazida pelo Corpo de Bombeiros, encontrada “desmaiada”, caída no chão do banheiro da casa dela. Ao lado dela uma cartela inteira de ansiolítico vazia. O marido refere que eles tiveram uma discussão e a esposa se trancou no banheiro, como já havia passado um tempo e ela não saía de lá mesmo após ele chamar por ela várias vezes, ele arrombou a porta e a encontrou caída ao lado da cartela vazia de medicação. Imediatamente ligou para o socorro. Preocupada com a paciente, a levei para sala de emergência e pedi para a enfermagem monitorizá-la para checarmos os dados vitais e pedi que passassem uma sonda nasogástrica, que é um tubo que colocamos pelo nariz e vai até o estômago, para que pudéssemos fazer uma lavagem gástrica, pois se ela tivesse realmente ingerido todos aqueles comprimidos precisaríamos retirá-los de lá antes que fossem absorvidos pelo organismo, pois isso poderia provocar risco de morte. Assim que a técnica de enfermagem começou a introduzir a sonda a paciente abriu os olhos e mexeu-se. Juro que meu sangue ferveu na hora. Perguntei para ela se podia me ouvir e a mesma respondeu que sim. Questionei o que tinha ocorrido e ela confirmou a história do marido e da ingestão de cerca de 20 comprimidos na tentativa de matar-se. Como o relato dela era de que isso já deveria ter cerca de uma hora, logo percebi que tratava-se de simulação. Ela estava fingindo e provavelmente não tinha tomado um comprimido sequer, deve ter jogado todos no vaso e dado descarga. Afirmo isso porque com uma hora após a ingestão cada comprimido já teria tido uma parcela da medicação absorvida pelo organismo, e com uma dose tão alta a pessoa deveria realmente estar desacordada, mas como ela insistia que era verdadeira sua história, informei que teríamos que lavar o seu estômago e ela concordou, mesmo que um pouco desconfiada. Como eu já esperava, não saiu nada daquele estômago! Depois que o procedimento terminou e eu disse que ela podia me contar a verdade, porque estava claro que não havia ingerido remédio algum, a mesma acabou confirmando que tudo não passava de uma farça para chamar a atenção do esposo… Odeio este tipo de coisa, pois veja quantas pessoas ela mobilizou! Fez com que uma ambulância do corpo de Bombeiros se mantivesse ocupada por alguns minutos, sendo que outras pessoas poderiam realmente estar precisando. Ocupou o meu tempo e o da equipe de enfermagem, quando poderíamos estar atendendo as pessoas que já aguardavam há horas com dor para serem avaliadas e medicadas… Terminado o show promovido pela referida paciente voltei ao atendimento e trabalhei muito a noite toda. Ao término do plantão eu estava exausta!
            Trabalho toda segunda-feira, quarta e sexta à noite e posso dizer que situações como essa do último plantão sempre se repetem...
            Ao chegar em casa tomei banho, bebi um copo de leite com chocolate e fui dormir.
            Acordei às 13:00h ainda com sono e cansada. Almocei e dormi de novo.
            A semana se seguiu como todas as outras...
            Sábado à tarde fui ao supermercado fazer algumas compras com minha mãe. Enquanto minha mãe lia compenetrada algumas caixas de sabão em pó, uma menininha tentando alcançar uma embalagem de biscoitos na prateleira, na pontinha dos pés, me chamou a atenção. Sorri para ela que me sorriu de volta e perguntei:
            - Posso te ajudar a pegar os biscoitos?
            Ela sorriu e balançou a cabeça dizendo que sim. Ela era loirinha, devia ter uns três anos e era linda.
            - Aqui está! Como você se chama?
            - Eu sou a Duda! E você?
         - Eu sou a Clarice! É um prazer conhecê-la! Disse estendendo-lhe a mão a qual ela apertou contente.
            - Você está sozinha? Onde estão seus pais?
            - Meu pai está ali! Respondeu apontando o dedinho. E minha mamãe está no céu! Ela é uma estrelinha brilhante.
            Percebi a tristeza em seu olhar e uma lágrima brotou em meus olhos. Peguei-a no colo e beijei-lhe o rosto.
            - Você é bonita! Parece com a mamãe, só que o cabelos dela eram amarelos iguais ao meu. Disse ela passando a mão em meus cabelos.
            - Duda, meu amor, já está incomodando a moça! O que o papai já lhe disse?
            Virei-me e o pai da garotinha estava ao meu lado. Fiquei um pouco constrangida de estar com ela em meus braços, não queria parecer que sou uma sequestradora de crianças...
            - Desculpe-me por isso! Disse entregando Duda nos braços dele.
            - Fui eu que me aproximei dela para ajudá-la a pegar uma embalagem de biscoitos. Falei com um sorriso amarelo no rosto.
            Ele sorriu. O homem era muito bonito. Deveria ter uns trinta anos era alto e tinha alguns cabelos grisalhos.
            - Não tem que se desculpar. Na verdade eu que peço desculpas, sabe como são as crianças! Um minuto que me distraio e já a perdi de vista. A propósito, eu sou o Henrique, pai da Duda! É um prazer conhecê-la!
            Disse me estendendo a mão.
            - Eu sou a Clarice! A estranha que gosta de ajudar crianças aparentemente perdidas em supermercados. Respondi apertando a mão dele que deu uma gargalhada.

...

terça-feira, 19 de maio de 2015

Vazio

Boa noite! Como vão? Posto agora um texto que escrevi há alguns anos atrás. Relendo-o comecei a refletir sobre como nos sentimos quando estamos a espera de um grande amor, sobre como a solidão nos incomoda quando estamos apaixonados e não somos correspondidos. Beijos e boa noite!

Vazio

 Renata R. Correa



            O céu está lindo. A noite fria. Fria como meu corpo. A noite é de festa, mas alguma coisa faz com que a tristeza paire em meu coração. Uma sensação de que sempre falta alguma coisa vive em mim. Sim, falta algo, falta você! Meu coração lhe pertence, meu amor é incondicional. Em meus pensamentos já vivemos muitos momentos felizes. Saudade de tudo! De tudo que não aconteceu, mas podia ter acontecido. Preciso de você, mas você vive muito bem sem mim. Será que ao menos por um momento pensas em mim? Talvez... Ou não.


PS: Leiam meus romances no Wattpad! Abaixo estão os links:
"As coisa não são assim - sobre a vida e o amor"
"Contra todas as probabilidades"


segunda-feira, 18 de maio de 2015

Não deixe que seu relacionamento se torne apenas costume

Boa noite galera linda e sensual! Hehehe!


Sábado fui ao teatro assistir "Doidas e santas", uma peça adaptada de textos da incrível autora Martha Medeiros e encenada brilhantemente por Cissa Guimarães e Oscar Magrini. Os diálogos familiares mostravam justamente como às vezes um casal deixa que o amor profundo e verdadeiro que sentiam um pelo outro caia na rotina e vá se esvaindo, esfacelando os sonhos e fazendo com que o desejo acabe. Foi uma das melhores peças de teatro que já assisti! Ela leva o espectador a refletir sobre a vida, os relacionamentos e o amor, mas também garante boas risadas!
Amor não pode ser apenas costume, porque senão morrerá. Amor precisa de encantamento. É necessário regar o amor diariamente para que ele se mantenha vivo, caso contrário ele murchará, secará e morrerá como uma planta que não recebeu água está fadada a morrer. 
Às vezes podemos achar que não é necessário dizer que ama e fazer surpresas e coisas que agradem e mimem quem temos ao lado, pois pressupõe-se que a outra pessoa já saiba. Saber não basta, todos querem sentir-se amados, desejados, cuidados! Todo mundo espera algo a mais de uma relação. E é isso que mantém a chama acessa! Sejamos esse algo a mais! Não esqueçamos de colocar ternura nos olhos, nos sorrisos e nas palavras. Que pelo menos uma vez ao dia possamos dar um abraço apertado e carinhoso e dizer que amamos e admiramos nosso(a) companheiro(a).  E que de vez em quando sejamos capazes de fazer surpresas, um jantar romântico, um cinema a dois, uma peça de teatro, uma viagem, ou coisas simples e previsíveis e bregas como o amor merece: rosas e chocolates, ursinhos de pelúcias e coisas do tipo. 
Numa relação o casal precisa estar sempre enamorado. Dizem que a paixão dura poucos meses, que isso nunca seja um problema, que possamos nos apaixonar de novo e de novo pela mesma pessoa! 

Beijos e até a próxima!

domingo, 17 de maio de 2015

Feliz! Um conto meu foi selecionado para uma coletânea!

Olá pessoal! Gostaria de compartilhar com vocês essa grande alegria e primeira vitória no mundo da escrita! Um conto meu inédito foi selecionado para uma coletânea da Editora Illuminare para o dia dos namorados, será um livro de 20 contos de 20 autores diferentes, e eu estarei lá!
Iuuupi!!! Hehehe...


sábado, 16 de maio de 2015

Quando estamos distraídos é que as coisas acontecem!

Olá pessoal! Tudo bem com vocês? Eu espero que sim!


Já perceberam que quando estamos distraídos é que geralmente as coisas que mais queremos acontecem? Ah, eu desejo tantas coisas da vida! E quero muito e corro atrás, e acho que temos mesmo que batalhar pelos nossos sonhos, mas é incrível como quando relaxamos coisas surpreendentes costumam acontecer! E o pior de tudo é que não dá para fazer de conta que deixamos de querer ou de esperar ou preocupar com aquilo, bem que seria mais fácil assim! E como é difícil desligar um pouquinho dos nossos desejos! Mas de repente focamos em outra coisa e bingo! Eu sou uma pessoa multi tarefas, mil e uma utilidades, tenho mil sonhos e projetos, mas é claro que geralmente um sempre está em evidência. Neste exato momento da minha vida posso dizer que tem pelo menos três coisas que eu desejo muito! Eu não vou falar, mas acho que nem precisa, quem já me lê e me acompanha há algum tempo ou me conhece, deve quase adivinhar. Como são três focos, fica um pouco difícil eu me distrair com mais alguma coisa além... Mas vou tentando! Por exemplo: adoro fotografar! Hoje fiz um ensaio da minha irmã e meu cunhado, as fotos ficaram lindas e foi muito divertido! Vou postar uma foto aqui. E mais tarde vou assistir a uma peça de teatro e amanhã estou de plantão. Sigo assim distraindo minha mente e meu coração, quem sabe os outros desejos aconteçam! Vou torcendo para isso e fingindo que não. Mas o fingir tem que ser quase real.
Um beijo e até a próxima!

quinta-feira, 14 de maio de 2015

"As coisas não são bem assim - sobre a vida e o amor"

Olá!

"As coisas não são bem assim - sobre a vida e o amor" é meu segundo romance. Estou postando-o no wattpad.

http://www.wattpad.com/story/38741842-as-coisas-n%C3%A3o-s%C3%A3o-bem-assim-sobre-a-vida-e-o-amor




Nele conto a história de Clarice, uma jovem médica que durante toda a faculdade namorou um colega de turma que julgava ser o grande amor da sua vida, quando no último ano do curso, durante uma viagem eles sofrem um acidente e Guilherme morre. Morre com ele a alegria de viver de Clarice, suas esperanças, seu futuro, sua família que não será mais construída ao lado dele, os filhos que não serão gerados... É um livro profundo, reflexivo e de uma beleza envolvente. Clarice precisará aprender a reconstruir sua vida e a reencontrar o amor. Acompanhem comigo a jornada dessa sensível jovem!

Um pedacinho do capítulo três para vocês! (Leiam os capítulo um, dois e três completos no wattpad!)

Capítulo três

        Levantei-me da cama já eram 10h. Tomei um café rápido e fui para a academia. Depois do almoço assisti a um filme, li um pouco e já estava na hora de me arrumar para mais um plantão de doze horas. 
          Mal entrei na unidade e o enfermeiro chefe me chamou para avaliar um paciente da enfermaria que parecia não estar muito bem... Por volta de meia noite o plantão deu uma acalmada e consegui descansar um pouco. Ainda me chamaram três vezes durante a madrugada para atender pacientes novos que haviam chegado. Todo plantão é muito parecido. Eu diria que cerca de cinquenta por cento dos atendimentos não precisariam estar ali! Deu 07:00h e meu turno terminou. Exausta fui para casa, tomei banho, fiz um lanche rápido e dormi até as 13:00h.
            Trabalho 12 horas e descanso 36h, ou seja, trabalho noite sim, noite não, segundas, quartas e sextas. Então quando estou de folga gosto de dormir o máximo possível e também gosto de me exercitar. No final da tarde fui para o clube e nadei um pouco. Encontrei com alguns ex colegas de faculdade e conversamos por um tempo. Voltei para casa e dormi cedo.
            Acordei bem disposta e fui para academia. Voltei para casa e ajudei minha mãe a preparar o almoço. Depois assistimos a TV juntas e dormi antes de me arrumar para mais um plantão.
           Não trabalho nos finais de semana, então tenho procurado sair um pouco mais de casa. Sábado à tarde fui com a minha mãe ao Shopping e Teresa me ligou me chamando para sairmos à noite.
            - Oi Tetê! Como vai?
            - Oi Clarice! Estou bem e você? Hoje vai ter Back to 80’ no London, vamos?
            Apesar de ter nascido já no final da década de 80, gosto das músicas daquela época, do bom e velho Rock Nacional. Essa é uma noite tradicional em Uberlândia e eu já não frequento uma desde que Guilherme se foi... Decidi aceitar o convite.
          - Só você para conseguir me levar para uma balada, amiga! Mesmo não estando muito animada, eu quero ir sim. Você me busca ou quer que eu te busque?
            - Eu pego você às 21:30h! Você tem o que vestir?
            Perguntou ela em tom de ironia.
           A pergunta mexeu comigo, porque nem me lembro quando foi a última vez que comprei uma peça de roupa descolada. Até comprei algumas coisas nos últimos meses, mas sempre roupas para trabalhar ou simples demais para vestir à noite. Aproveitei que estava no shopping e comprei um vestidinho preto, curto, com a saia rodada e algumas aplicações de renda. Fiquei bonita com ele. Tenho 1,65m e peso 55kg, meu cabelo é castanho escuro, liso com algumas poucas ondulações e minha pele é clara. Enquanto me olhava no espelho da loja percebi que estou precisando de cortá-lo ou cuidar melhor dele, a figura que fitei no espelho me pareceu um pouco desgrenhada. Tentei ajeitar os fios com as mãos, tirei o vestido e o paguei.
            Às 21:30h em ponto Teresa chegou para me buscar. Fomos conversando animadas pelo caminho, mas eu sentia certo nervosismo tomar conta de mim. Não sei se estou preparada para passar a noite numa balada.
            Já na fila de entrada encontramos com alguns conhecidos. As bandas que se apresentaram eram ótimas e curti bastante o som. Um rapaz alto e moreno se aproximou de mim. Ele era bonito e educado, mas sua presença me incomodava. Dei logo um jeito de escapar dali. Decidi pegar um táxi e voltei para casa mais cedo. Teresa ficou com outras amigas que encontramos por lá.
            Demorei para dormir e sonhei com Guilherme. Sonhei com um final de semana que passamos em um hotel fazenda. O hotel é próximo a Uberlândia, tem nascente de água quente, uma natureza exuberante e comida deliciosa. Ficamos juntinhos o tempo todo. A noite teve música ao vivo e dançamos um forró coladinhos. Ficamos namorando na sacada do quarto apreciando a paisagem. Guilherme me abraçou por trás e acariciou os meus cabelos, beijou o meu pescoço delicadamente e disse:
            - Olhos azuis, eu amo você! Amo seu sorriso de menina, sua delicadeza, sua generosidade... Você é meu amor da vida toda!
            Ele gostava de me dizer isso... O som da voz dele ecoou em minha cabeça e me fez acordar. Mais uma vez chorei sozinha... Adormeci chorando.

...

Leiam no wattpd! Até a próxima!

http://www.wattpad.com/story/38741842-as-coisas-n%C3%A3o-s%C3%A3o-bem-assim-sobre-a-vida-e-o-amor

PS: O meu primeiro romance "Contra todas as probabilidades" já está completo no Wattpad! É uma divertida e improvável história de amor entre uma fã e um ídolo do rock, com toques de sensualidade, drama e suspense. Já teve mais de 5.500 leituras! Conheçam! Abaixo deixo o link:
http://www.wattpad.com/story/28761774-contra-todas-as-probabilidades

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Não poupe sua felicidade! "Pois só na sequência de agoras é que se vive"

Olá pessoal! Tudo bem?



Muitas pessoas passam a vida poupando felicidade, como se ser feliz agora gastasse a felicidade que ainda se pode viver, como se não pudessem ser feliz com o que já têm e com quem têm ao lado. Essas pessoas na verdade estão sempre à espera. Esperam por dias melhores, pelo amor verdadeiro, por mais dinheiro, mais tempo. Ah, eu também vivo esperando dias melhores! Pensar que o amanhã pode ser melhor que hoje nos estimula a continuar, mas não deixo para ser feliz só depois, sou feliz agora! Quero ser feliz agora! Queiram ser felizes agora! Acho sim que precisamos pensar no futuro, poupar, planejar, mas sem deixar de viver o hoje. Podemos ser felizes a qualquer momento. Mesmo que a felicidade seja feita de pequenos momentos. Ontem li uma frase da Clarice Lispector, que mexeu comigo! (Ela mexe muito comigo! Tenho que ler Clarice aos poucos, pois ela perturba minha alma!). A frase dizia: "Se você se sente infeliz agora, tome alguma providência agora, pois é só na sequência de agoras é que se vive".  Perfeito isso! E penso mais: não podemos ficar esperando que outros ou que algo externo decida o rumo de nossas vidas! É importante ter coragem! Se realmente anda difícil ter momentos de felicidade agora é porque passou da hora de tomar uma atitude para mudar essa situação! Ser feliz não gasta a felicidade! Sejamos felizes com coisas simples e pequenas e com as grandes também, é claro! Tenhamos coragem para modificar o rumo da nossa vida! 

Beijos e até mais!

terça-feira, 12 de maio de 2015

Os certinhos que me perdoem, mas um pouco de ousadia é fundamental!

Bom dia! Tudo bem com vocês? Espero que sim! Eu ficaria mais feliz se vocês me dissessem como estão, escrevendo nos comentários! Deixa essa vergonha de lado!


Já faz uns dias que venho querendo escrever este texto, então vamos lá! Acho que a minha vida toda eu tive a sensação de que ser certinho demais é chato! Mesmo quando eu ainda era uma criança tímida, não queria ser igual a todo mundo, queria ser feliz, fazer cosias que me trouxessem felicidade! Eu gostava de brincar com os meninos na minha rua e brincava de carrinho mesmo, já que não haviam meninas! Nem me importava se alguém achava aquilo esquisito! Depois na minha adolescência, quando parecia ser obrigatório já ter dado o primeiro beijo, eu nem ligava para o que os outros pensavam, estava mais afim era de encontrar o meu primeiro amor (tão romântica, tão bobinha!). Eu sempre fui assim determinada, decidida, eu mesma, sem me deixar levar muito pelo o que os outros pensavam que eu deveria ser. Depois de um pouco mais velha a timidez foi ficando de lado e me transformei numa pessoa bastante comunicativa! Adorava conversar e não me intimidava se a conversa era com um rapaz bonito e mais velho! Na época muitas amigas ficavam morrendo de vergonha dos mocinhos e eu batia altos papos! Ser legal e gente fina não quer dizer que você seja oferecida, muito pelo contrário, como diria uma amiga eu era "difícil, dificílima", não que eu ache que as pessoas tenham que ser assim, essa era eu! Adorava conversar, jogar um charme, mas não estava muito interessada em sair "pegando" geral. O fato é que sempre gostei de quebrar as regras, da ousadia, de ir um pouco contra o convencional, acho que tudo que é muito engessado, certinho, formatado, enquadrado quase sempre é aborrecedor! "Boring" Chato foi uma das primeiras palavras que aprendi em inglês e nunca mais esqueci!
Perdoem-me os certinhos, mas acho que um pouco de "contravenção" vai bem ao caráter! Precisamos conhecer as regras sociais e saber quando quebrá-las! Ser honestos, mas ter malícia. Ser fiel, mas saber seduzir e ser safado também. Imaginem que tédio seria viver a vida toda ao lado de alguém que nunca se enfurece, nunca faz nada imprevisível, nunca fala um palavrão, nem altera o tom de voz (nem quando fica empolgado ou irritado), é sempre educado demais, delicado demais... Eu gosto de pessoas educadas e delicadas, mas adoro a espontaneidade! Pessoas que conseguem ser espontâneas são incríveis!  O que seria da vida sem gargalhadas escandalosas de vez em quando, sem dias de fúria (que sejam poucos!), sem um carinho atrevido e safado, daqueles que te provocam e te faz esquecer as convenções sociais?...

Como diz a música Inseparáveis do Suricato: "Nem sempre é correto o desejo que sai de mim". 
 Ah, que chata seria a vida se todos fôssemos certinhos e iguais! 

E essa é a sugestão de música para hoje:

Inseparáveis - Suricato

"Inseparáveis, qualquer movimento / podia jurar que ia ser assim / dinamitando a barreira do tempo / deixem falar o que querem de mim / tô a vontade / de verdade nem sempre que quero isso é assim / nossa vontade / nem sempre é correto o desejo que sai de mim ..."





domingo, 10 de maio de 2015

Não desanima não! Olha eu aqui no youtube! Vem pra cá! Chega mais!



Olá pessoal! Eu tinha criado um canal no youtube há algum tempo, mas ainda não tinha tido coragem de criar meu primeiro vídeo... Mas aqui está ele! Assistam! Falo um pouquinho sobre mim e minha trajetória de vida e meus sonhos que sempre pareceram inalcançáveis aos olhos dos outros, mas para mim não! Se você também tem sonhos difíceis e improváveis faça como eu: não desanima não!

Beijos!

"As coisas não são bem assim - sobre a vida e o amor"

Acordar e dar uma olhada na minha história e ler comentários tão lindos faz tudo valer a pena! Obrigada pessoal pelas leituras e comentários em meu novo romance! Para quem ainda não conheceu deixo aqui o meu convite! Abaixo está o link, conheçam esta linda e dramática história de amor!
Beijos! Bom domingo! Feliz dia das mães!

http://www.wattpad.com/story/38741842-as-coisas-n%C3%A3o-s%C3%A3o-bem-assim-sobre-a-vida-e-o-amor


sexta-feira, 8 de maio de 2015

Mais de 10 mil visualizações! Muito obrigada!

Feliz da vida! Obrigada pessoal!


Namoro ou amizade?

Bom dia! Mais uma linda sexta-feira chegou!



Nos últimos dias li muitos textos falando sobre amor e sobre relacionamentos, por isso decidi escrever sobre esse tema hoje. 
Quando a gente sabe que um encontro irá virar namoro? Por que às vezes aquela paquera com uma pessoa super legal, inteligente, gente boa e bonita não engata num namoro? Infelizmente não conseguimos explicar porque nos interessamos ou não por alguém. O fato é que às vezes tinha tudo mesmo para dar certo, vocês tinham afinidades, os carinhos eram gostosos, o papo fluía, mas ficou faltando algo. Esse algo pode ser inexplicável mesmo, já que parecia faltar nada, mas seu coração não disparou, você não viu estrelinhas e nem perdeu uma noite de sono pensando na outra pessoa. É isso... Acho que para querermos continuar saindo com o(a) paquera e elevar o relacionamento ao nível de um compromisso sério tem que haver uma certa perturbação na nossa alma! Algo que nos inquiete, que faça a ausência do outro nos incomodar, doer... Amor exige um pouco de sofrimento, sofrimento de alma, coração apertadinho, porque é essa angústia que nos faz querer o outro perto, sempre perto, saber cada vez mais coisas sobre ele(a). Li um texto de uma escritora super fofa que adoro, Beatriz Cortes, e ela estava incomodadíssima com uma certa música sertaneja que dizia mais ou menos algo como "se eu te amo te deixo livre", Bia diz que quando ama quer mais é ficar presa numa prisão sem grades. Achei engraçado na hora, porque compartilho o mesmo pensamento com ela. E não é verdade? Quando estamos apaixonados não estamos algemados a ninguém, mas nos sentimos assim e queremos de livre e espontânea vontade estar preso ao outro, dividir nossas alegrias e tristezas, coisas banais do nosso dia, estar sempre perto. Não que o amor deva sufocar ou suprimir a liberdade de ninguém, mas é um querer estar perto, junto, ligado de uma forma que é muito maior que qualquer corrente ou grade física, ligação de dois corações, ligação espiritual. Sabe aqueles amores que você pensa "é de outras vidas", mesmo que não acredite em outras vidas, sabe que o amor é maior que tudo que já conheceu. Esse amor que nos faz querer ser melhores, cuidar e ser cuidado, dividir a vida. Isso é amor!
Infelizmente nem sempre é amor, nem sempre existe esse magnetismo todo, por melhor que a outra pessoa seja. E as pessoas não entendem, seus amigos questionam porque não deu certo, porque você não quis ou porque o outro não quis namorar você, "você era pra casar! Como ele(a) foi idiota!". A reposta é simples, embora pareça complexa, embora pareça desculpa: não rolou aquele algo a mais que a gente tanto procura. Ele ou ela não te fizeram ver estrelinhas nem querer planejar um futuro a dois, casa, filhos, viagens.
Acho que este é um assunto recorrente, já falei algo parecido antes, mas senti necessidade de falar de novo. O que quero é aquietar seu coração. Se você está solteiro e gostaria de estar num relacionamento sério, não fique se martirizando, você não tem culpa, ninguém tem, mas é que ainda não era a pessoa certa. Ela vai aparecer! Tenha certeza disso! Mas mantenha os olhos bem apertos e o coração alegre e livre para se apaixonar novamente, não tenha medo de se machucar, mais vale sofrer por amor do que passar pela vida sem tê-lo vivenciado!
Beijos e bom final de semana!

Deixe seu comentário usando o facebook!