segunda-feira, 1 de junho de 2015

Uma vida inteira de amor

Oi pessoal! Tudo bem?
Como eu havia escrito ontem, de sábado para domingo tive um sonho tão lindo, que resolvi escrever um conto sobre ele. Sonhei com uma linda história de amor, que me envolveu e acordei emocionada. Como acabamos de entrar em junho, o mês em que comemoramos o dia dos namorados, este meu conto é um presente de amor para vocês! Espero que gostem! Beijos e boa leitura! Tenham todos uma excelente semana!

Uma vida inteira de amor
Renata R. Correa



Ela era uma jovem escritora, publicando seu primeiro livro. Seria sua primeira feira literária, estava um pouco ansiosa. Sabia que conheceria muitas pessoas que eram seus ídolos. Um deles era especial. Adorava acompanhar seu blog e vídeos que postava na internet. Por ele, sentia admiração e certa compaixão, afinal era jovem, bonito, sexy, esportista e tinha sofrido um grave acidente, há uns anos atrás, que o deixara paraplégico, preso a uma cadeira de rodas. Para ela, ele continuava o mesmo. Não, na verdade, depois do acidente percebera que ele se tornara ainda mais profundo e perturbador. O encontro foi por acaso, os dois transitavam pelo mesmo corredor, de longe a risada dele chamou sua atenção. Um sentimento de alegria invadiu-lhe a alma. Ela virou-se e percebeu-se fascinada por uns instantes. Algo estranho ocorria dentro dela. Aquele dia estava sendo tão surreal, surpreendente e emocionante que mal pôde reconhecer o que sentia. Aproximou-se: “Olá! Sou uma grande fã sua! Estou aqui para o lançamento do meu primeiro livro, mas conhecê-lo pessoalmente está sendo ainda mais emocionante”. Ele sorriu um sorriso sincero. Ela sentou-se num degrau para que pudessem conversar olhando nos olhos, e uma conversa gostosa e descontraída fluiu por muitos minutos. Despediram-se e ela sentiu um aperto no coração. “Mas o que é isso?” – perguntava-se a si mesma. Um magnetismo estranho envolveu aqueles dois jovens durante os minutos que estiveram juntos. Ambos seguiram seus caminhos pensativos e perturbados. Ele teve vontade de saber mais sobre aquela moça tão bonita, sensível e engraçada. Perguntou ao seu editor.  Decidiu mais tarde passar pelo estande dela, meio desconcertado em sua cadeira de rodas. Seu olhar surpreso o contagiou. Sim, agora ele tinha certeza de que ela também sentira algo diferente. “Oi! O que faz por aqui? Perguntou, surpresa. “Eu precisa ver você de novo”. Foi assim que a nova conversa começou, entre sorrisos, sinceridade e algo mágico que poderia ser um encantamento amoroso. Sim, os dois haviam sido flechados por algum cupido. Não conseguiam parar de falar, sorrir, reparar um no outro. Ele a convidou para almoçarem juntos. O coração dela disparou. Aceitou. Almoçaram num restaurante nas proximidades do local do evento. Ele foi em sua cadeira e ela o acompanhou caminhando. Ao sentarem-se a mesa ele tocou na mão dela de leve. O toque foi leve, mas a sensação foi intensa. Estranha. Ela não queria que aquela mão desgrudasse da sua nunca mais. Conversaram muito enquanto almoçaram. Contaram sobre suas vidas particulares, gostos, sonhos e amores.  Estavam solteiros. E o amor os rodeava, espreitava. Eles já tinham percebido, era inegável, e agora inevitável. Não teria como escapar. Eles não queriam escapar. Ele tinha receios por sua condição, mesmo percebendo que ela estava ali entregue a ele. Sem rodeios, sem disfarces. E foi num momento de completa harmonia que os dois se calaram. Não haviam palavras capazes de expressar o que queriam dizer. Ela aproximou seu rosto do dele e o beijou, sem hesitar. Foi um beijo que começou tímido e foi ganhando ritmo, sintonia, calor. Ele envolveu o rosto dela com suas mãos. Não queria parar. Eles não queriam que o beijo terminasse. “Você é linda, e incrível!” -  Ele disse e ela não soube o que responder. Tinha se apaixonado. Sentia medo, mas queria arriscar. Depois de encará-lo por alguns instantes, falou: “Você é tudo o que eu procurava para mim!” A resposta foi uma pergunta imediata: “Quer namorar comigo?”. E assim começaram uma linda história de amor, que teria pela frente muitos desafios. Terminada a feira, combinaram de se encontrar, ela viajaria para a cidade dele. Conheceu a sua mãe, com quem  morava. Passaram dias incríveis e tiveram a primeira noite de amor: estranha e diferente para ela, no início, mas de uma entrega, paixão e afinidade total, crescente a cada minuto que passava. Tiveram certeza de que eram feitos um para o outro. O amor durou muito anos, uma vida. Tiveram filhos, escreveram muitos livros de sucesso. Morreram juntos, um ao lado do outro aos oitenta anos, ela, e oitenta e três, ele. Depois de um jantar romântico e de terem tido a última noite de amor.

Deixe seu comentário usando o facebook!