segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Hoje tive medo de morrer - culpa do acaso

Bom dia!


Sabe aquela angústia que aperta o peito? Hoje acordei com ela. Para mim a angústia é a ansiedade vestida com roupa assustadora, com a intenção de provocar medo. Temos medo do desconhecido e do que não podemos controlar. E é justamente isso que causa ansiedade: saber que o que está acontecendo não depende de nós mudar. Pois existe o acaso e esse às vezes é traiçoeiro. Ele corresponde às peças que o destino nos prega! E nunca sabemos o que está vir por quando o assunto é acaso. Fazemos planos e de repente vem o acaso e muda tudo! Costumo falar de personagens que crio, de coisas do cotidiano, de assuntos comuns ao sentimento coletivo, mas hoje estou falando de mim... Fiz planos! Gosto de fazê-los! Gosto mais ainda de ter o controle das situações, do que está por vir, mesmo sabendo que isso é apenas uma ilusão. Ninguém consegue ter o controle da sua própria vida assim! Panejei engravidar há um tempo atrás. Na minha cabeça tudo seria lindo e fácil. Não foi bem assim... No início veio a dificuldade, com o tempo caiu a ficha de que existem muitas coisas no nosso organismo que não compreendemos bem e depois veio o golpe na cabeça! Daquelas pancadas certeiras que não conseguimos desviar! Fui hospitalizada com uma dor absurda na barriga. Mas naquele dia exatamente eu não tive medo de morrer. Queria apenas que a dor passasse. Fizeram alguns exames e descobriram que o meu ovário direito estava um pouco mais "sentimental" do que eu podia imaginar! Eu ali doidinha esperando que ele me desse um óvulo que virasse um filho, mas não, na vida as coisas não costumam ser tão simples assim! Ao invés disso ele me deu um sangramento gigantesco! E uma dor fortíssima de brinde! Mas tudo bem! Sou forte para dor e imaginei que aquilo fosse passar logo... mas não passou! Um ano depois, o sangramento se foi, mas restou algo desconhecido aqui dentro de mim! Algo que me causa dores todos os dias! O médico achou melhor me operar para tirar isso de mim! Achei melhor também, mas tive medo... Saí do consultório morrendo de medo de morrer! Irônico, não!? Eu estava a pé  e fui caminhando devagar, cabisbaixa, com medo da morte. De repente percebi que não era exatamente medo o que eu estava sentindo, era pena, dó de morrer. Pesar de pensar que se eu morresse não viveria tantas coisas que eu ainda espero viver! Não seria mãe, não veria meus livros publicados, não conheceria inúmeros lugares que sonho conhecer. Não veria minha pele enrugar nem meus cabelos ficarem brancos. Fiquei com pena de mim! Um lágrima escapou de meus olhos e pouco me importou se alguém estava vendo. Só continuei ali com meus devaneios e com dó de mim mesma! Depois passou! Fui correr atrás da papelada para liberar a cirurgia, e esqueci um pouco da minha tristeza. Mas o dia chegou... Amanhã será minha cirurgia. E hoje tive aquela sensação de medo da morte novamente. Porque somos assim: fortes e fracos, corajosos e medrosos, confiantes e ressabiados, tudo ao mesmo tempo! Estou torcendo para que dê tudo certo! Porque amo estar aqui nesse mundo e não seria bom ir embora tão cedo. Já tive minha conversa particular com Deus e ele me disse para ficar calma e acreditar que tudo vai correr bem. Estou acreditando. Torçam por mim e me incluam em suas orações, se não for pedir muito. Amanhã e depois não estarei em condições de escrever, mas espero que em breve eu volte a contar minhas histórias para vocês! As minhas pessoais e as que eu gosto de inventar!

Um abraço apertado!
Até breve!

Deixe seu comentário usando o facebook!