terça-feira, 12 de maio de 2015

Os certinhos que me perdoem, mas um pouco de ousadia é fundamental!

Bom dia! Tudo bem com vocês? Espero que sim! Eu ficaria mais feliz se vocês me dissessem como estão, escrevendo nos comentários! Deixa essa vergonha de lado!


Já faz uns dias que venho querendo escrever este texto, então vamos lá! Acho que a minha vida toda eu tive a sensação de que ser certinho demais é chato! Mesmo quando eu ainda era uma criança tímida, não queria ser igual a todo mundo, queria ser feliz, fazer cosias que me trouxessem felicidade! Eu gostava de brincar com os meninos na minha rua e brincava de carrinho mesmo, já que não haviam meninas! Nem me importava se alguém achava aquilo esquisito! Depois na minha adolescência, quando parecia ser obrigatório já ter dado o primeiro beijo, eu nem ligava para o que os outros pensavam, estava mais afim era de encontrar o meu primeiro amor (tão romântica, tão bobinha!). Eu sempre fui assim determinada, decidida, eu mesma, sem me deixar levar muito pelo o que os outros pensavam que eu deveria ser. Depois de um pouco mais velha a timidez foi ficando de lado e me transformei numa pessoa bastante comunicativa! Adorava conversar e não me intimidava se a conversa era com um rapaz bonito e mais velho! Na época muitas amigas ficavam morrendo de vergonha dos mocinhos e eu batia altos papos! Ser legal e gente fina não quer dizer que você seja oferecida, muito pelo contrário, como diria uma amiga eu era "difícil, dificílima", não que eu ache que as pessoas tenham que ser assim, essa era eu! Adorava conversar, jogar um charme, mas não estava muito interessada em sair "pegando" geral. O fato é que sempre gostei de quebrar as regras, da ousadia, de ir um pouco contra o convencional, acho que tudo que é muito engessado, certinho, formatado, enquadrado quase sempre é aborrecedor! "Boring" Chato foi uma das primeiras palavras que aprendi em inglês e nunca mais esqueci!
Perdoem-me os certinhos, mas acho que um pouco de "contravenção" vai bem ao caráter! Precisamos conhecer as regras sociais e saber quando quebrá-las! Ser honestos, mas ter malícia. Ser fiel, mas saber seduzir e ser safado também. Imaginem que tédio seria viver a vida toda ao lado de alguém que nunca se enfurece, nunca faz nada imprevisível, nunca fala um palavrão, nem altera o tom de voz (nem quando fica empolgado ou irritado), é sempre educado demais, delicado demais... Eu gosto de pessoas educadas e delicadas, mas adoro a espontaneidade! Pessoas que conseguem ser espontâneas são incríveis!  O que seria da vida sem gargalhadas escandalosas de vez em quando, sem dias de fúria (que sejam poucos!), sem um carinho atrevido e safado, daqueles que te provocam e te faz esquecer as convenções sociais?...

Como diz a música Inseparáveis do Suricato: "Nem sempre é correto o desejo que sai de mim". 
 Ah, que chata seria a vida se todos fôssemos certinhos e iguais! 

E essa é a sugestão de música para hoje:

Inseparáveis - Suricato

"Inseparáveis, qualquer movimento / podia jurar que ia ser assim / dinamitando a barreira do tempo / deixem falar o que querem de mim / tô a vontade / de verdade nem sempre que quero isso é assim / nossa vontade / nem sempre é correto o desejo que sai de mim ..."





Deixe seu comentário usando o facebook!