quinta-feira, 21 de maio de 2015

Resiliência no amor - desafios e conquistas na vida a dois

Olá pessoas queridas! Hoje meu texto é especial, pois estou escrevendo-o a pedido do querido Juscelino Melo. Façam-me vocês também seus pedidos aqui ou no facebook que atenderei com o maior carinho!



Acabou que o tema sugerido pelo Ju virou o título do meu texto. Vocês já estão acostumados a me ler falando sobre o amor e a vida a dois, adoro essa temática! Resiliência é uma palavra que tem sido muito usada ultimamente para falar sobre relacionamentos, ela é usada num sentido figurado, já que resiliência vem da física, das leis que estudam a mecânica e define a resistência aos choques de materiais. Quando usamos essa palavra para nos referir a relacionamentos, estamos nos apropriando dela para designar paciência, capacidade de ceder ao outro, ser maleável e flexível e assim resistir e evitar possíveis choques na vida a dois.
Comecemos!

Quem pensa que a vida a dois é simples e fácil se engana! Como poderia ser fácil juntar duas pessoas totalmente diferentes? Mesmo que compartilhem gostos e tenham sonhos em comum, são pessoas distintas, que vieram de criações e vivências com características particulares, isso por si só já seria motivo para choques e embates. Conviver é exercitar a arte da paciência, do perdão, do saber ceder e conceder. Logo, uma das características mais importantes na vida a dois é justamente a tal da resiliência! Ser paciente, flexível, saber fazer concessões, são características presentes no casal que levarão o relacionamento adiante, pois um relacionamento é feito muito disto: aceitar e compreender o outro. Se você quiser sempre ter razão e nunca tentar entender a visão de seu/sua companheiro(a), nunca dar o braço a torcer, abrir concessões, fará da vida a dois um inferno. Amor não pode ser disputa de quem está certo ou errado! Amor é cumplicidade! É importante e bom ouvir opiniões que não sejam as suas, testar outras hipóteses e outros pontos de vista. Você pode até não concordar, mas precisa aceitar que pessoas pensam de formas diferentes. Já ouviu aquela velha história de ser feliz ou ter razão? Nem sempre precisamos ter razão, nem ter opinião formada sobre tudo, aceitar as verdades do outro é difícil sim, mas demonstra humildade, e é um exercício que culminará numa convivência mais harmoniosa, numa vida a dois mais feliz. "Eu te aceito do jeito que você é, nem sempre concordo, mas fico feliz que demonstre suas opiniões, conte-me sobre seus sonhos e vontades". Não é essa uma frase linda para se dizer a quem se ama? Creio que as primeiras conquistas de um relacionamento surgem a partir do momento que ambos compreendem que é possível amar o diferente, aceitá-lo e entendê-lo , e é nesse momento que duas pessoas começam a se transformar em uma só (lembram-se desse meu texto?). É assim que a mágica do amor acontece! A vida a dois é  e sempre vai ser cheia de desafios, cabe a cada um de nós decidir se vai aceitá-los ou desistir do amor. Quanto a mim, aceito os desafios  e surpreendo-me assim com o amadurecimento do amor. E quanto a vocês? 
Desejo que tenham mais paciência, mais carinho e vontade de dar certo e que aprendam a ceder um pouco, a ser mais resilientes e experimentem o amor profundo e verdadeiro e uma vida de encontros diários entre corações, corpos e almas, repleta de alegria, entendimento e paz! Afinal, não é todo dia que se encontra o amor da vida da gente!

Deixe seu comentário usando o facebook!